segunda-feira, 28 de maio de 2012

O que nos resta é a arte

Neste final de semana, perambulando pelas ruas de Curitiba, pude ver alguns pontos culturais da capital. Isso foi um alento à minha alma inquieta por justiça, beleza e bem estar. Pude visitar o Museu Oscar Niemayer, o museu do "Olho", como dizem os mortais. Tambem andei pelas imediações do Teatro Guaíra, lembrando da apresentação no "Guairinha" e aproveitei para uma foto no monumento à Lala, essa bailarina fantástica que nem todos tiveram a oportunidade de ver, entre os quais me incluo.


Espero que um dia tenhamos em Cascavel tantos pontos quantos mereçam os abnegados da arte cabocla. Que assim seja.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Matar, viver ou morrer, quem dá mais...

Muitos me criticaram, outros cobraram, outros ainda lamentaram, dizendo que estou ausente, que não compartilho, não crítico, nao participo. Mas quem realmente me conhece? Quem sabe há quanto tempo venho lutando por uma Cascavel melhor, um Estado mais justo e um Brasil que se tenha motivo de alegria viver.
No entanto, continuo vendo campear a injustiça enquanto miseráveis defendem latifundiários arrogantes que disparam seus "canhões" na madrugada, matando por se acharem "acima do bem e do mal". São herdeiros da violência, comensais da injustiça, filhos dos desesperados que se atem à força para garantir suas "posses". Mas os dias vão passando e assim como morrem policiais federais, também morrem bandidos disfarçados de gente bem, que levam no sangue a morte julgada de forma fraudada no passado. Pagam ainda o erro dos pais, enquanto esquecem que tambem vão morrer, seja amanhã, ou daqui mil anos, não importa, vai acontecer e seus filhos, mais cedo ou mais tarde terão que enfrentar a ira que vai sair dos casebres, as foices se levantarão novamente e o povo e a verdadeira democracia haverá de prosperar.
Acorda povo meu, está chegando a hora, a revolução é feita por soldados, não por generais que se escondem sob a desculpa de "preparar estratégias" em escolas de guerra. A força do povo esta no povo e não nos que pensam ser poderosos. Eles são como "mula sem cabeça", e basta uma réstia de sol para desaparecerem na bruma que vem pela manhã.
Só lamento ter que deixar parábolas para serem decifradas no futuro que sei que vira. Hoje ja não me importo mais por não ver a vitória popular. Sei que vai acontecer e quando acontecer, se estiver em algum lugar, seja no céu ou no inferno, vou saber. Se não, tambem vou saber, pois sou parte inseparável da humanidade...

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Mandando a arte embora

Nessa segunda-feira, 27-02-2012,tive o prazer de ver e ouvir dois artistas de rua na avenida Brasil em Cascavel. Dois rapazes, um paranaense e um argentino tocavam e cantavam defronte ao Magazine Luiza. Repentinamente fui surpreendido pela presença de um funcionário da loja que solicitou aos rapazes que parassem de tocar, tendo em vista que ele queria fazer a divulgação das ofertas da loja. Esqueceu ele que os rapazes lhe traziam mais fregueses que seu som horrível. Fica registrado o protesto.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

As "burrices" históricas caem por si

Bem recentemente, logo ali atrás, no ano passado, a Câmara de Vereadores de Cascavel, visando unicamente "atender" aos "interesses dos comerciantes" da cidade, resolveu "mudar" a data do aniversário do município e atropelou um trabalho que demorou anos para ser conquistado, ou seja, corrigir um erro histórico da comemoração da instalação do município. Fizeram várias elocubrações a respeito, desprezaram a história e mudaram a data. A primeira bordoada os vereadores receberam dos comerciantes que tanto alegaram "prejuizo" em comemorar o aniversário de Cascavel no dia 14 de dezembro (alegavam que a data próxima do natal, abala o comércio) resolveram que fechar o comércio às vésperas de um feriado Nacional (Proclamação da República 15/11) é bem pior e acabaram abrindo no feriado Nacional. Mas o pior veio depois, mais precisamente no dia 14 de dezembro, quando os vereadores comemoraram o aniversário de 59 anos de instalação do Poder Legislativo. É ai que queria chegar, como o município comemorou 60 anos, se a Câmara só tem 59 e o município foi instalado pelos vereadores através da Lei numero 0001;1952. Tentem explicar para a história como um município pode comemorar 60 anos sem nunca ter tido 59. Um dia voces serão motivo de riso, eu só lamento que tambem não vou estar aqui.