quinta-feira, 19 de abril de 2012

Matar, viver ou morrer, quem dá mais...

Muitos me criticaram, outros cobraram, outros ainda lamentaram, dizendo que estou ausente, que não compartilho, não crítico, nao participo. Mas quem realmente me conhece? Quem sabe há quanto tempo venho lutando por uma Cascavel melhor, um Estado mais justo e um Brasil que se tenha motivo de alegria viver.
No entanto, continuo vendo campear a injustiça enquanto miseráveis defendem latifundiários arrogantes que disparam seus "canhões" na madrugada, matando por se acharem "acima do bem e do mal". São herdeiros da violência, comensais da injustiça, filhos dos desesperados que se atem à força para garantir suas "posses". Mas os dias vão passando e assim como morrem policiais federais, também morrem bandidos disfarçados de gente bem, que levam no sangue a morte julgada de forma fraudada no passado. Pagam ainda o erro dos pais, enquanto esquecem que tambem vão morrer, seja amanhã, ou daqui mil anos, não importa, vai acontecer e seus filhos, mais cedo ou mais tarde terão que enfrentar a ira que vai sair dos casebres, as foices se levantarão novamente e o povo e a verdadeira democracia haverá de prosperar.
Acorda povo meu, está chegando a hora, a revolução é feita por soldados, não por generais que se escondem sob a desculpa de "preparar estratégias" em escolas de guerra. A força do povo esta no povo e não nos que pensam ser poderosos. Eles são como "mula sem cabeça", e basta uma réstia de sol para desaparecerem na bruma que vem pela manhã.
Só lamento ter que deixar parábolas para serem decifradas no futuro que sei que vira. Hoje ja não me importo mais por não ver a vitória popular. Sei que vai acontecer e quando acontecer, se estiver em algum lugar, seja no céu ou no inferno, vou saber. Se não, tambem vou saber, pois sou parte inseparável da humanidade...